Chocolates Top e Produtos para Cupcakes

Para quem ama comer e/ou fazer doces e quer chocolate de verdade (e não gordura hidrogenada) encontrei 3 lojas em São Paulo que vendem chocolates importados.

O preço assusta mas se você fizer a conta de 100g sai mais barato do que chocolate 70% cacau de supermercado. A diferença está no sabor. São chocolates Belgas e Franceses deliciosos: Callebaut, Barry, Belcolade…

Há chocolates ao leite, brancos, com dosagens diferentes de cacao, com gianduia, chocolates sem glúten, sem lactose, além de castanhas, frutas cristalizadas, confeitos, etc. Você também encontra utensílios para cupcakes, doces e chocolates; produtos para decoração; e mil trecos para cozinhar. Os preços são similares. Acho que vale a pena olhar o que for mais próximo da sua casa. Todas também vendem on line.

Pompéia: Bondinho Chocolates

Moema: Barra Doce

Centro: Central do Sabor

Se você é mãe-produtora como eu e quer pirar o cabeção para a festa do seu filho você vai amar essas lojas.

Anúncios

Dicas de alimentação para crianças menores de 3 anos

Até os seis meses de vida, toda criança deve se alimentar apenas do leite materno. Depois desse período até os dois anos, ela deve começar a beber água, chás e consumir, gradativamente, outros alimentos, como cereais, tubérculos, frutas, legumes e carnes. Se a criança estiver mamando, deve fazer essas novas refeições três vezes ao dia. Caso contrário, cinco vezes, sempre respeitando os horários normais da família e o apetite da criança. Essas são algumas dicas que o Ministério da Saúde vem divulgando na tentativa de melhorar a qualidade da alimentação na primeira infância.

Outras orientações podem ser encontradas em uma cartilha criada pela Coordenação Geral de Política de Alimentação e Nutrição do órgão. Os novos alimentos devem ser incluídos na dieta inicialmente em forma pastosa, oferecidos em colher pequena ou média. Os pratos sempre devem ter alimentos variados e coloridos, o que garante uma alimentação rica e saudável. Frutas, legumes e verduras, devem ser consumidos diariamente.

Já o açúcar branco, o sal, o café, os enlatados, as frituras, os refrigerantes, as balas, os salgadinhos, e outros alimentos menos saudáveis, devem ser evitados. O cuidado com o manuseio, a higiene e a conservação dos alimentos são fundamentais. Atenção: crianças doentes e convalescentes devem ser estimuladas a comer, mas nunca forçadas.

A partir dos três anos

Nessa fase, a criança já pode comer alimentos com mais consistência e deve manter as cinco refeições diárias. Três refeições principais e dois lanches, como os adultos. Cereais (arroz e milho), tubérculos (batatas), raízes (mandioca e aipim), pães e massas, além das carnes, frangos, peixes, ovos, frutas, legumes e verduras, nunca devem faltar. Arroz e feijão são muito nutritivos e podem compor as principais refeições. Leite, queijos e iogurte, também fazem bem à saúde.

Quanto menos sal, gorduras e frituras, uma pessoa consumir, melhor. Por isso, a dica é evitá-los. Outro alerta da cartilha é que ingerir líquido durante a refeição dificulta o processo de digestão, independente da idade.

Fique de olho

Recentemente, diversos jornais de circulação nacional noticiaram as altas concentrações de agrotóxico em alimentos in natura, como pimentão, morango, tomate e outros. Na ocasião, a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que os consumidores buscassem produtos cultivados naturalmente.

Os alimentos integrais e orgânicos são recomendados e podem ser grandes aliados na manutenção da saúde e da qualidade de vida. Praticar esportes, se divertir e brincar são atividades fundamentais para a manutenção da saúde. Por isso, estimule seu filho a gastar energia e aproveitar a vida.
Conheça as dicas do Ministério da Saúde para crianças de até dois anos

notícia publicada no boletim da Alana (não gosto desta ong mas a matéria é boa)

Especiarias de todo (e para todo) mundo

especiarias.jpg

Se você gosta de cozinhar, ou quer ter mil potinhos de temperos na sua cozinha pra fazer uma pressão, você tem que passear no Mercado Central de São Paulo. Mais especificamente na banca G.Frederico: uma banca que mais parece uma caverna de saquinhos com temperos pendurados.

Para entrar e xeretar ou pagar sua compra você precisa abaixar a cabeça e se espremer nas duas minúsculas passagens. O espaço não é para os clientes. É para os temperos. Lá dentro você encontra vendedores simpáticos e um proprietário no caixa ranzinza que não dá desconto nem de 10 centavos.

Além de pitoresco é um lugar incrível! Tem especiarias e ervas de todo o mundo que ficam pendurados pelas paredes e teto já separados em pequenas e médias porções. Mas não se engane. Se você for um grande consumidor de algo em especial eles tem pacotes a granel.

O preço é INFINITAMENTE mais barato do que no mercado. A mercadoria é muuito mais fresca e perfumada do que esses saquinhos industrializados da Kitano e afins. E a variedade é para deixar qualquer um doidinho (ou espirrando se você for muito sensível a cheiro de pimenta no ar).

O lugar não tem site. O contato é pelo fone 3228-1854. A localização física é indicada como Banca F-21. Mas o mais fácil mesmo é aproveitar a ida até lá, se embrenhar pelos corredores e acabar topando com esta montanha de cheiros e cores.

Uma vez no mercado, aproveite para se deslumbrar com os vitrais restaurados e com as barracas de frutas e queijos (se você encostar com cara de interessado, todo mundo te dá comida para provar… uma delícia).

Se estiver mesmo com fome entre numa das filas no térreo para comprar um pão com mortadela ou o tradicional pastel de bacalhau. Ou se preferir conforto (e tiver a paciência de esperar uma mesa vagar) suba para o mezanino e escolha um dos simpáticos restaurantes que também servem essas tradicionais iguarias no Mercadão.

Para comprar barato: Kani, Alcaparras, Palmito, Champignon…

palmito.jpg

Pelo preço que você pagaria no mercado por dois pacotes de 200g de kani, no Assai Atacadistas (www.assaiatacadista.com.br) você compra pacotes de 750g da mesma marca.

O mesmo vale para palmitos, alcaparras, champignon, alcachofra e demais conservas.

Obviamente são “potinhos” de 1kg para cima, então você tem que ser um ávido consumidor desses itens, e ter espaço para estocar, para justificar essa compra. Também só assim para aguentar ir num lugar feio e cheio de gente.

Descartáveis como guardanapos, papel alumínio, papel filme e afins também são bem baratos. Frios em peças idem.

Já outros produtos como refris e cerveja tem que comprar com os Carrefour da vida porque as vezes o preço é igual.

Não tem super variedade de marcas mas tem bons produtos, mas tem que pesquisar, olhar data de validade com cuidado e procurar as embalagens mais limpas. Digamos assim que o preço baixo vem junto com um pouco de descaso.

Por isso, eu só compro embalagens fechadas. Mas aí isso depende da neuras de cada um.