Consórcio – É bom, mas demora…

banco.jpg

Fiz a maior propaganda aqui dos consórcios contemplados. Eles, financeiramente, realmente valem a pena, mas esteja preparado – DEMORAM PARA LIBERAR A GRANA.

Foi uma verdadeira via sacra: apesar da carta contemplada, quando encontramos o imóvel que queríamos adquirir, começou um enviar sem fim de milhares de documentos para o banco.

Sabíamos do procedimento mas a informação era que em 20 dias o proprietário receberia o pagamento.

Acho, sinceramente, que o nosso caso foi pior porque nossa carta era do Banco Bradesco. Segundo vários amigos que já tiveram seguro de automóvel com eles, este é o banco que mais demora para liberar o pagamento, que mais documentação pede, que mais tem procedimentos emburrecidos no caminho e que mais tem gente que não sabe te dar as informações corretas no processo.

Com muita luta conseguimos que o banco pagasse os vendedores quase 2,5 meses depois do início do processo. Por sorte os vendedores não tinham pressa e toparam a lentidão. Mas passamos muito nervoso e tivemos que brigar muito.

Ainda assim, continuo dizendo que esta é a melhor forma de se fazer uma dívida imobiliária, mas esteja preparado para a burocracia, avise o vendedor da demora, e pesquise o prazo real que firma a qual pertence o consórcio demora para liberar o pagamento do bem.

BRADESCO EU DEFINITIVAMENTE NÃO RECOMENDO.

Anúncios

Carta de Crédito – Muuuito mais barato que financiamento

casinha25.jpg

Compramos um apê usando Carta de Crédito Contemplada e não Financiamento. Como é uma super vantagem compartilho aqui com vocês essa boa nova. 

1. A diferença da carta de crédito para o financiamento é: na carta de crédito você só paga taxa de administração e correção monetária; no financiamento você paga taxas, correção e juros (o vilão da história).

2. Um exemplo de hoje no site do Bradesco:

2.1. Para financiar 200 mil você pagaria – 144 parcelas de R$ 3.327 e precisaria de uma renda mínima de 11 mil reais. Se você calcular quanto a mais você pagará no final dá 140% a mais valor financiado. Ou seja, 200 mil saem por cerca de R$ 480 mil reais.

2.2. Já uma carta de 200 mil custaria – 144 parcelas de R$ 1.757 e precisaria de uma renda minima de 6,5 mil reais. Calculando o montante total gira em torno de 27% a mais do que o valor tirado na carta. 113% mais barato do que o financiamento que daria um valor total de cerca de R$ 254 mil reais. Ou seja, 226 mil reais mais barato!!!

 3. Em ambos os casos você precisa ter uma parte do dinheiro na mão. No financiamento, dependendo do valor e do banco, eles só financiam até 60% do valor do imóvel (os outros 40% você tem que ter). Na carta de crédito contemplada você precisa ter a grana da entrada…

4. A pegadinha está no tempo: o financiamento sai na hora e o consórcio você tem que esperar ser sorteado. Aí entra a dica de produção: existe um universo paralelo de venda de cartas JÁ CONTEMPLADAS. Obviamente quem vende uma carta contemplada pode estar em 2 situações:

4.1. Usa isso para investir e cobra um agio enorme;

4.2. Está precisando desesperadamente e dinheiro e cobra um agio baixo ou nenhum agio, ou ate desagio (cobra menos do que já pagou em prestações). Aí entra a sua persistencia em pesquisar. Eu, por exemplo, passei 15 dias procurando até achar uam carta com um desagio grande. Negocião.

5. Mais dicas: Eu pesquisei várias empresas que fazem corretagem de cartas de crédito já contempladas. A mais séria e com melhor documentação foi a da qual compramos – www.consorciocontemplado.com.br. São três irmãos que atendem juntos. No site deles, apesar da cara feia, há diversas cartas a venda. Para ver se vale a pena você tem que fazer a seguinte continha:

valor da entrada + (número de prestações X valor da prestação) – o resultado final você faz uma regra de 3 com o valor da carta (valor da carta = 100%, valor da compra é X%)

6. No site hoje deles vou exemplicar com 2 cartas. veja a diferenca na oferta:

6.1. Carta no valor de 156.000, com entrada de 56.900 e dívida de 124 prestações de 1531 reais. Se você aplicar a fórmula acima verá que essa carta sai por 58% além do valor da carta. Como uma carta comprada direto da empresa de crédito custa em torno de 27%, essa carta aqui exemplificada está com um ágio de 31%

6.2. Veja um outro exemplo do mesmo site: Carta no valor de 195.000, com entrada de 93.000 e dívida de 95 prestações de 1627 reais. Aplicando a fórmula você verá que o valor total dá 27% a mais, ou seja, o mesmo que você pagaria se comprasse a carta direto do banco. Só que esta já está contemplada. É um bom negócio, sem ágio.

7. Há várias empresas que vendem cartas. Um google básico e você encontrará diversas. Mas pesquise direitinho antes de comprar.  Conferira se a carta existe. Veja se as condições do site são as reais. E claro, não pague nada a ninguém sem ter certeza absoluta do negócio que você está fazendo.

Espero ter ajudado. Boa sorte nas suas buscas.