Dicas de alimentação para crianças menores de 3 anos

Até os seis meses de vida, toda criança deve se alimentar apenas do leite materno. Depois desse período até os dois anos, ela deve começar a beber água, chás e consumir, gradativamente, outros alimentos, como cereais, tubérculos, frutas, legumes e carnes. Se a criança estiver mamando, deve fazer essas novas refeições três vezes ao dia. Caso contrário, cinco vezes, sempre respeitando os horários normais da família e o apetite da criança. Essas são algumas dicas que o Ministério da Saúde vem divulgando na tentativa de melhorar a qualidade da alimentação na primeira infância.

Outras orientações podem ser encontradas em uma cartilha criada pela Coordenação Geral de Política de Alimentação e Nutrição do órgão. Os novos alimentos devem ser incluídos na dieta inicialmente em forma pastosa, oferecidos em colher pequena ou média. Os pratos sempre devem ter alimentos variados e coloridos, o que garante uma alimentação rica e saudável. Frutas, legumes e verduras, devem ser consumidos diariamente.

Já o açúcar branco, o sal, o café, os enlatados, as frituras, os refrigerantes, as balas, os salgadinhos, e outros alimentos menos saudáveis, devem ser evitados. O cuidado com o manuseio, a higiene e a conservação dos alimentos são fundamentais. Atenção: crianças doentes e convalescentes devem ser estimuladas a comer, mas nunca forçadas.

A partir dos três anos

Nessa fase, a criança já pode comer alimentos com mais consistência e deve manter as cinco refeições diárias. Três refeições principais e dois lanches, como os adultos. Cereais (arroz e milho), tubérculos (batatas), raízes (mandioca e aipim), pães e massas, além das carnes, frangos, peixes, ovos, frutas, legumes e verduras, nunca devem faltar. Arroz e feijão são muito nutritivos e podem compor as principais refeições. Leite, queijos e iogurte, também fazem bem à saúde.

Quanto menos sal, gorduras e frituras, uma pessoa consumir, melhor. Por isso, a dica é evitá-los. Outro alerta da cartilha é que ingerir líquido durante a refeição dificulta o processo de digestão, independente da idade.

Fique de olho

Recentemente, diversos jornais de circulação nacional noticiaram as altas concentrações de agrotóxico em alimentos in natura, como pimentão, morango, tomate e outros. Na ocasião, a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que os consumidores buscassem produtos cultivados naturalmente.

Os alimentos integrais e orgânicos são recomendados e podem ser grandes aliados na manutenção da saúde e da qualidade de vida. Praticar esportes, se divertir e brincar são atividades fundamentais para a manutenção da saúde. Por isso, estimule seu filho a gastar energia e aproveitar a vida.
Conheça as dicas do Ministério da Saúde para crianças de até dois anos

notícia publicada no boletim da Alana (não gosto desta ong mas a matéria é boa)

Anúncios

Torcicolo Congênito – Fisioterapia Salvadora

Torcicolo congênito, em termos leigos, é quando o bebê nasce com o músculo do pescocinho pinçado. Isso acontece ou por má posição dentro do útero da mãe ou por algum movimento abrupto na hora do parto.

No caso da minha filha esse problema só ficou evidente aos 2 meses de vida. A posição naturalmente confortável para ela era com a cabeça pendendo para o lado esquerdo e o rosto virado para o lado direito.

O dia em que a coisa ficou feia (agravou com uma grande crise de cólica) a levamos ao pronto-socorro. Disseram que era algum mau jeito e mandaram fazer compressas e massagem. Não resolveu.

Dias depois lá vou eu numa ortopedista (bem bruta por sinal). Ela avaliou a parte “mecânica” da Maya: ossos, músculos, tendões, tudo estava onde deveria estar. Ela me receitou alguns exercícios, massagem e compressas. Não resolveu.

Outro ortopedista (e estou falando aqui de ortopedistas tops, consultas particulares, teoricamente especializados em crianças): não é nada. Vai passar… Não é nada? Vai passar? A Maya não conseguia virar o rosto para os dois lados e quando você forçava ela chorava. O crânio dela não era redondinho parecia um trapésio pontiagudo num dos lados. O rosto estava ficando desigual. Como assim não era nada?

Graças aos céus, uma prima minha que é fisioterapeuta, que mora no interior veio à São Paulo para um curso, a examinou e diagnosticou o torcicolo congênito. Me acalmou dizendo que a fisio a curaria bastava procurar um bom profissional.

Obviamente fiz uma busca na internet e quase morri quando descobri que o torcicolo, quando não tratado adequadamente, gera sequelas na coluna da criança para toda a vida.

Comecei a busca por um bom fisio. Busquei alguns profissionais que trabalhavam com crianças mas que ou se recusavam a tratar um bebê ou quando tentavam ficava evidente que não sabiam o que fazer. Não conseguiam manipular a Maya apesar de seus protestos. Eu já estava desesperada, aí finalmente recebi uma indicação de uma super fisioterapeuta, a Dra. Elaine.

Foi o que salvou a minha filha. Por 6 meses fizemos sessões semanais de fisioterapia e ostiopatia. A melhora foi lenta mas gradual. E agora ela está ótima como se nada tivesse acontecido. Mexe o pescoço para todos os lados, olha para todos os lados, o crânio está redondinho, o rosto está perfeito. A coluna não sofreu danos.

Misturinha pra Bundinha

Durante a gravidez ouvi opiniões diversas sobre que pomada para prevenir assaduras deveria ser usada num bebê.

Decidi fazer um teste. Eu comprei uma bisnaga de hipoglós e outra de dermodex. Passei as duas na coxa e esperei.

O resultado foi o seguinte:

– A hipoglós fede, é grosseira e na hora de tirar precisou de tanto algodão e tanto atrito que a pele ficou vermelha. Se a minha pele desgastada ficou assim eu só podia imaginar como ficaria a de um bebê recém-nascido.

– A dermodex tinha cheiro mais suave e era fácil de tirar, então, em teoria havia optado por esta.

Aí, na maternidade a enfermagem recomendava usar nada ou apenas óleo de amêndoa doce (desses de farmácia homeopática, não os óleos “paixão” da vida).

Quando cheguei com minha filha em casa testei isso, mas após um mês ela começou a ficar rosadinha no bumbum. O pediatra aconselhou misturar 50% dermodex, 50% óleo de amêndoa.

Na hora de comprar o óleo de amêndoas na farmácia homeopática descobri a pomada que uso até hoje:

Calêndula Baby Cream, da Weleda.

Esta pomada, importada da Alemanha, é feita com produtos naturais. Cheirosa, fácil de sair, suave, realmente deixa a pele do bebê seca e gostosa.

Eu misturo a pomada com o óleo de amêndoas. O resultado é bem agradável.

O preço é quase o mesmo da Dermodex (45g da Dermodex custa 10 reais na Ultrafarma, e 75g da Calêndula Baby custa R$ 19,90), mas a diferença de poucos reais compensa na qualidade.

E, ao menos para minha filha, misturando com o óleo de amêndoas, uma bisnada dura mais de mês. Vale a pena!

Brotoejas de Calor

Este é só um exemplo, existem diversas marcas de pasta d'água.

Com este verão infernal que está assolando São Paulo era de se esperar que surgissem brotoejas na pele da minha pequena bebê.

Falei com o homeopata e veio a sugestão de tratamento: baratíssimo, antiquíssimo e bem simples: 2 banhos por dia, roupas frescas e aplicar “Pasta d’água” nas áreas atingidas.

Pasta d’água é uma “suspensão usada no tratamento de dermatoses, contendo óxido de zinco, talco, glicerina e água”.

O treco custa entre R$ 3,00 e 5,00, dura uma vida e faz milagres.

Dê um banhinho no seu bebê e passe a pasta d’água nas áreas atingidas. Mas só passe nas áreas atingidas mesmo, na pele sã ele resseca.

Como a minha baby está com 9 meses, ela já lambe, chupa, morde e esfrega todas as partes do corpo. Então eu prefiro dar um banhinho nela no fim do dia, passo a pasta d’água e a ponho pra dormir.

Na manhã seguinte, dou outro banho para tirar o excesso. Aí reaplico apenas nas áreas muito graves. De noite é que a deixo como um fantasminha.

E não se assuste, eles vão ficar todos manchadinhos de branco. Parece uma maquiagem. A roupa fica com uma poeirinha branca (do talco) mas não mancha.

Outro coisa que descobri: num dia de calorzão minha filha ficou com uma irritação no reguinho do bumbum (como uma casca grossa) e nada resolvia (nem mesmo dermodex tratamento). O que resolveu for misturar a pasta d’água na misturinha que faço para evitar assaduras (veja o post Pomadinha pra Bundinha). Sarou muito rápido!