Baby, I’m back!

Agora minha “bebê” já está independente, tem opinião e come sozinha.

Marido e eu voltando à ativa com coisas mundanas como dormir, ver um filminho, hobbies.

Então, decidi reativar  o site e voltar à contribuir com dicas diversas.

Espero que sejam úteis.

Feliz 2012!

Tão longe, tão perto

Queridos

A vida me afastou do blog, mas fico feliz dos posts sobre a carta de credito gerar tantas discussões.

Posto todos os comentários pois creio que os vários pontos de vista e experiências ajudam a compor um quadro.

Sobre a carta de crédito minha experiência for árdua, mas valeu a pena.

Eu não sei se faria de novo. De certo não com o Bradesco.

Mas lembrem-se muito depende da documentação perfeita de ambas as partes e de muita persistência. Eu briguei muito mas saiu!

Boa sorte a todos.

Dicas de alimentação para crianças menores de 3 anos

Até os seis meses de vida, toda criança deve se alimentar apenas do leite materno. Depois desse período até os dois anos, ela deve começar a beber água, chás e consumir, gradativamente, outros alimentos, como cereais, tubérculos, frutas, legumes e carnes. Se a criança estiver mamando, deve fazer essas novas refeições três vezes ao dia. Caso contrário, cinco vezes, sempre respeitando os horários normais da família e o apetite da criança. Essas são algumas dicas que o Ministério da Saúde vem divulgando na tentativa de melhorar a qualidade da alimentação na primeira infância.

Outras orientações podem ser encontradas em uma cartilha criada pela Coordenação Geral de Política de Alimentação e Nutrição do órgão. Os novos alimentos devem ser incluídos na dieta inicialmente em forma pastosa, oferecidos em colher pequena ou média. Os pratos sempre devem ter alimentos variados e coloridos, o que garante uma alimentação rica e saudável. Frutas, legumes e verduras, devem ser consumidos diariamente.

Já o açúcar branco, o sal, o café, os enlatados, as frituras, os refrigerantes, as balas, os salgadinhos, e outros alimentos menos saudáveis, devem ser evitados. O cuidado com o manuseio, a higiene e a conservação dos alimentos são fundamentais. Atenção: crianças doentes e convalescentes devem ser estimuladas a comer, mas nunca forçadas.

A partir dos três anos

Nessa fase, a criança já pode comer alimentos com mais consistência e deve manter as cinco refeições diárias. Três refeições principais e dois lanches, como os adultos. Cereais (arroz e milho), tubérculos (batatas), raízes (mandioca e aipim), pães e massas, além das carnes, frangos, peixes, ovos, frutas, legumes e verduras, nunca devem faltar. Arroz e feijão são muito nutritivos e podem compor as principais refeições. Leite, queijos e iogurte, também fazem bem à saúde.

Quanto menos sal, gorduras e frituras, uma pessoa consumir, melhor. Por isso, a dica é evitá-los. Outro alerta da cartilha é que ingerir líquido durante a refeição dificulta o processo de digestão, independente da idade.

Fique de olho

Recentemente, diversos jornais de circulação nacional noticiaram as altas concentrações de agrotóxico em alimentos in natura, como pimentão, morango, tomate e outros. Na ocasião, a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que os consumidores buscassem produtos cultivados naturalmente.

Os alimentos integrais e orgânicos são recomendados e podem ser grandes aliados na manutenção da saúde e da qualidade de vida. Praticar esportes, se divertir e brincar são atividades fundamentais para a manutenção da saúde. Por isso, estimule seu filho a gastar energia e aproveitar a vida.
Conheça as dicas do Ministério da Saúde para crianças de até dois anos

notícia publicada no boletim da Alana (não gosto desta ong mas a matéria é boa)

Lojas de Bebês no Brás

Com a gravidez descobri outro recanto de compras de roupas paulista: o Brás.

No site www.omelhordobras.com.br você encontra uma infinidade de lojas listadas, além de mapa da região e dicas de como chegar. O site é feio e demorado mas tem boas dicas.

Percebi que as maiores lojas estão concentradas na Rua Oriente e nos quarteirões ao seu redor. Em uma situação pré-gravidez/produtora neurótica, eu teria conhecido toooodas as lojas do pedaço. Mas agora com a serenidade e a barrigona oriundas da gravidez, concentrei-me em vasculhar apenas 8 quarteirões da Rua Oriente.

Fui de carro pelo centro e achei super fácil de chegar. Estacionei na Rua Barão de Ladário, transversal à Rua Oriente, dentro do shopping Mega Polo Moda (um shopping com lojas de atacado). No shopping nada para crianças, mas o estacionamento é do tipo “você estaciona e leva a chave” da Estapar (quem tem seguro da Porto ganha 30% desconto). O período de 6h sai por R$ 15,00. Deve ter lugar mais barato mas gostei desse porque é seguro, dá para você ir comprando e levando as sacolas para o carro. E para pausas estratégicas (de onde vou comprar o quê após pegar mil cartões de lojas) tem uma boa praça de alimentação, alguns cafés, com banheiros limpos.

O Brás não é a mesma loucura da 25 de março. As calçadas são largas, tem poucos camelôs, e as lojas não são lotadíssimas. As que mais gostei foram as seguintes:

Brás Modas – roupas e objetos mais simples, mas com ótimos preços. O que mais valeu a pena aqui foi o kit berço. Era igual ao das outras lojas mas cerca de 30% mais barato. Rua Oriente, 441. (11) 6695-3517. Vendedora Fernanda.

MN Baby – Roupas e objetos mais sofisticados. Um pouco mais cara mas achei macacões de inverno de melhor qualidade. Tinha também bons itens diversos como gorros, luvinhas, etc. Rua Oriente, 576. (11)6692-8108. www.mnbaby.com.br. Vendedora Juraci.

Petit Enfant – foi onde compramos a grande maioria das roupas. Também compramos lá otimos lençois (berço e carrinho) e mantas. Os preços, novamente, não são exatamente os menores, mas para este patamar de qualidade de produto os preços eram ótimos. Rua Oriente, 562. (11) 2693-2778 / 2693-9639. www.petitenfant.com.br. Vendedoras Maria e Vânia.

Casa das Toalhas – Entre a Rua Oriente e o Shopping esta loja tem tudo de cama, mesa e banho. Tudo mesmo. Das marcas mais simples às mais sofisticadas. Compramos aqui as fraldas de pano, as toalhas fraldas, as toalhas com capuz e um cobertor maravilhoso. Muito mais barato do que em qualquer shopping da vida. Rua Barão do Ladário, 516. (11) 6694-3371 / 6694-3291. www.casadastoalhas.com.br. Vendedora Michelle.

Torcicolo Congênito – Fisioterapia Salvadora

Torcicolo congênito, em termos leigos, é quando o bebê nasce com o músculo do pescocinho pinçado. Isso acontece ou por má posição dentro do útero da mãe ou por algum movimento abrupto na hora do parto.

No caso da minha filha esse problema só ficou evidente aos 2 meses de vida. A posição naturalmente confortável para ela era com a cabeça pendendo para o lado esquerdo e o rosto virado para o lado direito.

O dia em que a coisa ficou feia (agravou com uma grande crise de cólica) a levamos ao pronto-socorro. Disseram que era algum mau jeito e mandaram fazer compressas e massagem. Não resolveu.

Dias depois lá vou eu numa ortopedista (bem bruta por sinal). Ela avaliou a parte “mecânica” da Maya: ossos, músculos, tendões, tudo estava onde deveria estar. Ela me receitou alguns exercícios, massagem e compressas. Não resolveu.

Outro ortopedista (e estou falando aqui de ortopedistas tops, consultas particulares, teoricamente especializados em crianças): não é nada. Vai passar… Não é nada? Vai passar? A Maya não conseguia virar o rosto para os dois lados e quando você forçava ela chorava. O crânio dela não era redondinho parecia um trapésio pontiagudo num dos lados. O rosto estava ficando desigual. Como assim não era nada?

Graças aos céus, uma prima minha que é fisioterapeuta, que mora no interior veio à São Paulo para um curso, a examinou e diagnosticou o torcicolo congênito. Me acalmou dizendo que a fisio a curaria bastava procurar um bom profissional.

Obviamente fiz uma busca na internet e quase morri quando descobri que o torcicolo, quando não tratado adequadamente, gera sequelas na coluna da criança para toda a vida.

Comecei a busca por um bom fisio. Busquei alguns profissionais que trabalhavam com crianças mas que ou se recusavam a tratar um bebê ou quando tentavam ficava evidente que não sabiam o que fazer. Não conseguiam manipular a Maya apesar de seus protestos. Eu já estava desesperada, aí finalmente recebi uma indicação de uma super fisioterapeuta, a Dra. Elaine.

Foi o que salvou a minha filha. Por 6 meses fizemos sessões semanais de fisioterapia e ostiopatia. A melhora foi lenta mas gradual. E agora ela está ótima como se nada tivesse acontecido. Mexe o pescoço para todos os lados, olha para todos os lados, o crânio está redondinho, o rosto está perfeito. A coluna não sofreu danos.

Ginásio Chicco e Tatame – Test Drive

Maya aos 5 meses de idade sobre o tatame destruindo o brinquedo.

Este tipo de brinquedo está sendo fundamental para o desenvolvimento motor da Maya.

Um tatame de EVA de 40 mm de espessura garante a firmeza e a proteção necessária para ela ficar no chão felizona.

Chicco – Ginásio Deluxe

Ao invés de 3 brinquedos compre um. É caro, mas no frigir dos ovos você economiza dinheiro e espaço.

É caro! Caro mesmo, mas compensa que só.

Ao invés de investir num tapetinho de atividades que vai ser utilizado por 2 ou 3 meses, invista em algo como este brinquedo de atividades para bebês.

O ginásio deluxe da Chicco é o máximo pois você tem 3 brinquedos em 1.

A partir dos 3 meses é um ginásio ideal para desenvolver a coordenação de braços e pernas. Aos 9 meses a criança começa a sentar-se e o Ginásio Deluxe transforma-se na primeira mesa de actividades. Aos 12 meses a criança já fica em pé e o Ginásio Deluxe acompanha o seu crescimento, transformando-se numa mesa com múltiplas atividades.

Veja:

Com o tampo de cabeça para baixo o bebê a partir dos 3/4 meses começa a tentar pegar os bichinhos pendurados. Lá pelos 5 meses eles chutam esses bichinhos impidedosamente e os arrancam daí para morderem com todo prazer do mundo!

Com o teclado virado para cima e com as pernas curtas o bebê a partir dos 8/9 meses, quando consegue sentar, usa o ginásio como mesa. A minha filha ama! Passa horas brincando.

Nesta versão com os pezinhos eu ainda não vi funcionando pois minha filha ainda não fica de pé, mas tenho certeza que ela o usará como um tecladinho.

A única ressalva que faço é que o som eletrônico dos teclados é super alto mesmo selecionando o volume baixo (tem 2 níveis de volume). Eu não aguento, então minha filha brinca com ele sem pilhas mexendo apenas nos itens mecânicos. Mais pra frente acho que será inevitável ligá-lo…

Mesmo assim eu recomendo fortemente! Ela ama!!!

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes